Ministério Público de Minas Gerais apura denúncias contra Telexfree em Belo Horizonte

Ana Clara Otoni – Hoje em Dia
Ministério da Justiça abre processo contra Telexfree por indícios de pirâmide financeira
O trabalho oferecido pela TelexFree consiste em espalhar anúncios pela Internet

 Há pelo menos três meses o Ministério Público de Minas Gerais está apurando denúncias recebidas contra o Telexfree em Belo Horizonte por suspeita de que a empresa tenha envolvimento com formação de pirâmide financeira. O procedimento investigatório criminal corre em sigilo e, por isso, informações sobre as investigações não foram divulgadas, conforme informou nesta terça-feira (9) a assessoria do MPMG.

Nessa segunda-feira (8), a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Acre manteve a suspensão da empresa para realizar novos cadastros de divulgadores e de efetuar pagamentos aos divulgadores já cadastrados. A proibição ocorreu, pela primeira vez, em 19 de junho. Os bens dos proprietários da empresa estão bloqueados. Com a determinação, a Telexfree amarga o terceiro fracasso na Justiça acreana, que acatou pedido de liminar do Ministério Público do Acre.
O MPMG espera reunir elementos necessários e contundentes para oferecer uma denúncia à Justiça contra a empresa. A Polícia Civil também estaria elaborando a  abertura de um inquérito criminal para verificar a ocorrência de possíveis fraudes no esquema. Contudo, a assessoria da PC informou que não há registro de denúncia ou procedimento policial sobre o caso Telexfree no Departamento de Operações Especiais (Deoesp). É possível que o procedimento seja instaurado na delegacia do consumidor, caso a denúncia comece a ser apurada pela Polícia Civil.
O Ministério da Justiça também abriu um processo administrativo no último dia 28 para apurar as denúncias contra a Telexfree, que atende pelo nome fantasia Ympactus Comercial Limitada.  Com sede no Espírito Santo, a empresa atua pela internet oferecendo serviços de ligações para o exterior a baixo custo. Contudo, a Telexfree divulga o enriquecimento fácil a quem se torna “divulgador” dos serviços da empresa.
Basicamente, o trabalho oferecido pela TelexFree consiste em divulgar anúncios pela Internet. Para participar, porém, o colaborador deve pagar uma taxa de adesão e comprar um “kit” que o habilita à função. A empresa oferece ainda o pagamento de comissão a quem trouxer mais membros. Em vários vídeos no YouTube, o diretor de marketing da empresa Carlos Costa presta esclarecimentos aos “divulgadores” sobre a situação da empresa.
O que é o esquema da pirâmide financeira?
Pirâmide financeira é um modelo comercial não-sustentável e considerado fraude. Muitas vezes o esquema é mascarado sob o sistema de “marketing multinível”. A pirâmide financeira envolve a troca de dinheiro pelo recrutamento de outras pessoas, ou por exemplo, por postagens diárias de anúncios publicitários da empresa na internet, sem qualquer produto ou serviço entregue.
Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Ministério Público de Minas Gerais apura denúncias contra Telexfree em Belo Horizonte

  1. moacir disse:

    procuri u qui fazer dr

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s