Editorial: Minas Pensa e não será novamente enganada

cordeiro

Inicia-se nesta segunda feira em Belo Horizonte, um conjunto de palestras, promovidas pelo PSDB, no evento denominado: “Minas Pensa o Brasil”. O primeiro palestrante será o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo os organizadores o tema a ser abordado será; “O Século XXI: Desafios, ameaças e oportunidades”.

Cabendo, portanto á nos mineiros alem de saudar o ilustre visitante, atualiza-lo, pois nos últimos 20 anos o mesmo só passou por Minas, em seu espaço aéreo de avião, indo e voltando de Brasília a São Paulo. Julgamos necessário apresentá-lo a Minas real, não á descrita pela mídia oficial, bem remunerada pelo Palácio da Liberdade e sim por aquela que desde 2003, vem sendo diariamente censurada, ameaçada e perseguida.
Não que nossas palavras farão diferença, pois como Dona Andréa Neves diz; Somos um insignificante jornaleco.
Senhor ex-presidente, não és bem vindo, o que bem sabes, tanto é que o evento que participas ocorre sob forte segurança á portas fechadas e em local de vosso costume, um hotel de luxo.
Contudo temos a informá-lo que sobre desafios, tens pouco a nos ensinar, desde vosso governo fomos obrigados a viver em um Estado empobrecido sem suas principais riquezas; minerais, empresariais, financeiras e morais alem de nossa fonte de energia porque somos a caixa d’água do Pais.
O outrora patrimônio do Povo mineiro transformou-se em madrasta. Cia Vale do Rio Doce, privatizada, ou melhor, roubada, com amparo de leis formuladas pelo senhor com auxilio e supervisão de seu despachante legislativo Aécio Neves, que em troca da traição desde então manda na mineradora que financia todas suas campanhas políticas. O que a Vale do Rio Doce ganhou em Minas Gerais com o sacrifício dos mineiros durante décadas, aplicou no Estado do Para e no Maranhão, deixando para traz gigantescas crateras, enorme passivo ambiental e miséria.
O Niobio, que no planeta só existe em maior quantidade no Morro dos Seis Lagos, município de São Gabriel da Cachoeira (AM), de difícil exploração, pois no meio de uma floresta, jazida que o senhor em seu governo só não entregou ao capital internacional, impedido que foi pelo Exercito e em Araxa, (MG), outrora pertencente ao Governo de Minas, hoje entregue por Aécio Neves a China e ao Japão.
Empreitaras construtoras de nosso desenvolvimento e progresso, estas já tivemos, enormes, a exemplo da Construtora Mendes Junior e Andrade Gutierrez, a primeira desmontada em seu governo por seu companheiro de partido, Eduardo Azeredo, segundo ele e os relatórios contábeis de sua campanha, fora o principal financiador de vossa reeleição para presidente em 1998.
Azeredo, sobre quem no passado muito escrevi, hoje confesso não consigo competir com a avalanche de irregularidades e ilegalidades cometidas, noticiadas pela imprensa nacional. Que vergonha, o senhor outrora mentor de Azeredo e beneficiário junto com Aécio Neves e outros tucanos do esquema “Mensalao Mineiro do PSDB” por ele montado querem agora o expulsar, em troca do esquecimento de vossas participações.
A Construtora Andrade Gutierrez, vosso governo á transformou de empreiteira em lavanderia e enorme laranjal, capas de abrigar e legitimar contabilmente as fraudes, evasão de divisas e desnacionalização praticadas nas privatizações e concessões promovidas em seu governo, principalmente na área de telecomunicações.
As construtoras e empreiteiras que sobraram em minas uniram-se por iniciativa de Aécio Neves em um denominado “Sindicato do Crime” e “Cartel das Empreitaras”, servindo de fonte arrecadadora de propina procedente de obras governamentais para vosso partido.
Bancos, também não temos mais nenhum, BEMGE, CREDIREAL, por política e incentivo de vosso governo foram entregues a iniciativa privada por Eduardo Azeredo. Temos que reconhecer que sua defesa, contudo ocorreu através do PROER em relação ao Banco Nacional, porem para preservar o patrimônio de seu filho, casado com a filha de Magalhães Pinto.
No período de 1995 a 2000, foram destinados mais de R$ 30 bilhões a bancos brasileiros, aproximadamente 2,5% do PIB. Á preços de hoje equivaleria a aproximadamente R$ 55,23 bilhões.
Bem, a Cemig, embora tenhas tentado em seu governo também através de Eduardo Azeredo privatizá-la, só agora Aécio Neves, concretizou o fato transferindo-a para lavanderia e fruticultura Andrade Gutierrez.
Presidente veja os “donos de Ônibus”, como saudosamente estes senhores eram chamados. Hoje uma organização criminosa denominada CNT, montada pelo senhor quando ministro no Governo Itamar Franco, transferindo para eles uma montanha de dinheiro arrecadado da folha de pagamento do salário miserável dos trabalhadores do setor.
Quem á dirige desde então Clesio Andrade, mentor do esquema administrado por Marcos Valerio hoje conhecido como Valerioduto, que financiou vossa campanha e as demais campanhas políticas do PSDB após sua criação. Este senhor foi vice-governador de Aécio Neves, vosso anfitrião.
De ameaças, nos mineiros desde 1995 quando o PSDB assumiu o Poder estadual em Minas Gerais e federal em Brasília, estamos “escolados”, pois permanentemente ameaçados seja pelo aparelho repressor montado através da policia, seja pela ausência de justiça, literalmente comprada, como narrei no livro “A Justiça Tucana” em 1995. Hoje está pratica tucana sabidamente espalhada por todo Brasil. Em nosso caso, o exercício do jornalismo passou a ser uma profissão de alto risco.
Cabe ai uma justa homenagem ao vosso partido, embora seja pratica comum também em outras siglas partidárias, após assumir o Poder em 1995, o PSDB mineiro passou a exportar para o Pais seu modelo de Corrupção. Reconhecidamente ninguém é mais competente que o PSDB mineiro para corromper e ser corrupto.
Bem ex-presidente em relação à oportunidade ai sim e bem possível que o senhor tenha muito a nos ensinar, porem com uma pequena mudança na palavra, transformando-a em oportunismo. Nisto o senhor e o PSDB são expert.
Senhor Fernando Henrique, basta de farsa, os mineiros já conhecem o senhor e Aécio Neves, que segundo pesquisas encomendadas por vosso partido e guardadas a sete chaves tem hoje uma rejeição superior à aceitação junto ao Povo mineiro.  Isto á grande imprensa não divulga, pois esta regiamente remunerada para tal.  Só mesmo nos, jornalecos, informamos.
Queres comprovar, vá ao Mineirão, hoje transformado pelo PSDB em casa de espetáculo, em companhia de Aécio em um clássico, veras qual saudação á ele será feita. Certamente que ficaras alegre, pois, pretendes legalizar a pratica na saudação a ele dirigida.
Em fim, deixe-nos quieto, para que possamos curar nossas feridas, arrependendo-nos do nosso erro, do monstro que criamos, evitando que seus malefícios sejam transmitidos para nossos filhos e netos.
Embora ciente que não acreditas nele, vá com Deus.
Marco Aurélio Carone
Ex-presidente do Diário de Minas, jornal fundado ainda no império em Ouro Preto, fechado irregularmente pelo Poder Judiciário de Minas Gerais em 1995, ato este hoje comprovado judicialmente, por iniciativa e a mando do PSDB. Atual diretor responsável do Novojornal, empastelado em 2008, em pleno regime democrático pelo Procurador Geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares, por determinação de Andréa e Aécio Neves, fato igualmente comprovado através de decisão do TJMG. Autor dos livros, “Minas Caixa Queima de Arquivo”, “Cosa Nostra, Caso Fiat”, “A Justiça Tucana”, “A Gangue dos Castros” e do documentário “Jogo Final”. Recuperando-se á oito anos de um grave acidente de carro, cuja pericia, os sistemas de freio e de direção desapareceram.  Não é jornalista e sim publicitário.
Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s