Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, deu um grande passo para se tornar um dos polos tecnológicos mais importantes não só do país, mas de toda a América Latina. O motivo de tanto otimismo é a construção, no município, da mais moderna fábrica de semicondutores (chips) do hemisfério Sul.

A fábrica terá investimento total de R$ 1 bilhão e as obras, que já tiveram início, devem durar até o fim de 2014. A expectativa é gerar 300 empregos – a maior parte deles de profissionais altamente qualificados.

Obsessão do governo federal e do setor privado, o projeto só se tornou viável após uma delicada costura na composição acionária. A SIX, empresa do grupo EBX, de Eike Batista, foi criada para tocar o negócio. A SIX e o BNDESpar, braço de participações acionárias do BNDES, terão, cada um, 33% de participação na nova companhia. Cada um investiu R$ 265 milhões. O BNDES ainda financiará R$ 267 milhões, sendo R$ 65 milhões por meio do BDMG, que terá 7,2% das ações.

Os sócios privados são a norte-americana IBM, com 18,8% das ações, a construtora Matec, com 6,7%, e a WS-Intecs, empresa de tecnologia comandada por Wolfgang Sauer, ex-presidente da Volkswagen do Brasil, com 1,53%.

Durante a solenidade que oficializou o lançamento da nova companhia, na manhã de ontem, na sede do BDMG, em Belo Horizonte, o vice-presidente executivo da SIX Semicondutores, Frederico Blumenschein, citou a nova companhia como exemplo bem-sucedido de parceira público-privada. “É um exemplo perfeito. A (presidente) Dilma teve esforços pessoais, ainda como ministra de Minas e Energia”, disse. A própria Dilma anunciaria a indústria, mas sucessivos problemas de agenda acabaram deixando a presidente fora do evento.

“Conseguimos o licenciamento ambiental em menos de quatro meses. É um case nacional de agilidade e imagino que não tenha precedentes no país”, disse Blumenschein.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, também enumerou as qualidades do projeto. “Quando ouvi pela primeira vez sobre essa fábrica, eu ainda era secretário de Finanças do então prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro. Considero uma mudança de paradigma não só para a indústria mineira, mas para toda a indústria brasileira”. O presidente de honra do grupo EBX e pai de Eike Batista, Eliezer Batista, brincou que o “empreendimento está condenado ao sucesso”.

Mercado. A empresa pretende inserir o Brasil em um mercado que, em 2011, movimentou US$ 300 bilhões. Na balança comercial do ano passado, o déficit no setor de componentes eletrônicos foi de US$ 30 bilhões. A empresa fabricará chips para aplicações industriais e médicas. Cerca de 80% da produção deverá ser exportada.

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s