Ademir Lucas é acusado de desviar R$ 70 mil em verba indenizatória

Arquivo Hoje em Dia
Ademir Lucas apresentou notas que totalizam R$ 70 mil de empresa que não funciona no local declarado

 

Candidato à Prefeitura de Contagem, na Região Metropolitana, o ex-deputado Ademir Lucas (PSDB) é alvo de uma investigação da Procuradoria Geral de Justiça por desvio de dinheiro público. Segundo a ação, assinada pelo procurador-geral Alceu Torres, o tucano teria desviado R$ 70 mil de verba indenizatória no período que ocupou uma vaga na Assembleia Legislativa.
 
As denúncias são referentes ao segundo mandato de Ademir, iniciado em 2007. Depoimentos prestados à procuradoria e obtidos pelo Hoje em Dia apontam para suposta prática de improbidade administrativa e falsidade ideológica.
 
Entre julho de 2009 e janeiro de 2010, o então deputado apresentou à Assembleia 12 notas da empresa Contagem Ação, Promoção, Eventos e Publicidade, em um total de R$70 mil, para fins de reembolso da verba indenizatória. Oficialmente, a empresa teria prestado serviços editoriais para Ademir, como a produção de jornais e materiais de publicidade.
 
Casa da avó
 
Segundo consta na Junta Comercial, o endereço da empresa é no bairro Vila Satélite, em Sarzedo, na Região Metropolitana. Porém, no local existe apenas a casa da avó da proprietária da empresa, Ana Maria da Cruz. 
 
Em depoimento dado à procuradoria, uma sobrinha de Ana Maria confirmou que não sabe onde funciona a empresa e que o marido de sua tia, Edson Tadeu de Jesus, foi assessor de Ademir Lucas por muitos anos.
 
Ana e Edson costumavam frequentar a casa do tucano, que foi padrinho de uma das filhas do casal, segundo consta no depoimento.
 
A proprietária Ana Maria também confirma que no endereço fornecido à Junta Comercial mora a sua mãe, mas alega que a empresa presta serviços editoriais. Ana confessa também que Edison é o real gestor da Contagem Publicidade, mas que ele nunca “revelou a razão pela qual não queria que seu nome constasse no contrato social”. Edson geria a empresa por meio de uma procuração.
 
Freelancer
 
Ana Maria alega que os materiais editoriais dos clientes são feitos no endereço residencial do casal, onde há impressora e computador. Em seu depoimento, Edison nega que faça parte da empresa e diz que faz serviços como freelancer para deputados estaduais, com exceção de Ademir. Ele disse desconhecer o volume ou valor de nota emitidas pela empresa Contagem Publicidade. 

 

 

 
Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s