Região Metropolitana de Belo Horizonte registra menor taxa de desocupação

Índice apurado pelo IBGE está abaixo do registrado em países como Alemanha, Estados Unidos e Chile

Taxa de 3,8% é também a segunda menor do país, atrás apenas de Porto Alegre
Taxa de 3,8% é também a segunda menor do país, atrás apenas de Porto Alegre

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) apresentou, em dezembro de 2011, a menor taxa de desocupação da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada desde 2002, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de 3,8% é também a segunda menor do país, atrás apenas de Porto Alegre (3,1%), e significativamente inferior à taxa de 4,7%, estimada para o conjunto das seis regiões metropolitanas pesquisadas (Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro).

A pesquisa anual apontou para a RMBH a menor taxa, com 4,9%, ante 5,5% registrada em 2010. Essa taxa é menor do que a registrada em vários países que, historicamente, têm níveis de emprego acima dos registrados no Brasil. Como exemplos, a Alemanha registrou taxa de 5,6%, a Argentina e Chile 7,2% e Estados Unidos 8,3%. Na Zona do Euro, a taxa de desemprego, em setembro, foi de  10,3%.

De acordo com governador Antonio Anastasia, os níveis de emprego refletem os esforços do Governo do Estado em criar um clima propício ao investimento produtivo. No ano passado, lembrou o governador, foram assinados 140 protocolos de intenções para investimentos em diversos setores, que somam R$ 27,6 bilhões, com projeção de criação de 127 mil empregos.

“O objetivo principal do Governo de Minas é a melhoria das condições de vida da população e o desenvolvimento social e econômico do Estado. Isto somente será possível com a geração de emprego de qualidade. Para tanto, o poder público tem de fazer a sua parte, abrindo oportunidade para que as pessoas tenham acesso a uma educação de qualidade e à qualificação profissional”, afirmou.

A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) apontou aumento no número de empregados com carteira assinada, que passou de 47,8%, em dezembro de 2010, para 49,2% no mesmo mês de 2011. Já o rendimento médio dos trabalhadores aumentou 5,5% no período, passando de R$ 1.490,10 para R$ 1.572,20. Em relação a novembro de 2011 (R$ 1.551,84) o aumento foi de 1,3%.

“A pesquisa mostra que estamos no caminho certo. Trabalhando pela geração de muitos e bons empregos e pela qualificação dos nossos trabalhadores. Esses são os números da Região Metropolitana, mas temos conseguido ótimos resultados em todo o Estado”, afirmou o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta.

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s