Ministério Público apura cartel em favor da família Perrella

Pelo sistema investigado, as empresas podem ter abocanhado várias licitações com o Poder Público
Amália Goulart e Ezequiel Fagundes – Do Hoje em Dia – 16/01/2012 – 07:25

zezé perrella

Zezé Perrella ao lado do irmão e sócio em vários negócios, Alvimar de Oliveira Costa

O Ministério Público Estadual (MPE) de Minas investiga irregularidades em contratos e denúncia de formação de cartel no ramo alimentício, envolvendo empresas em nome do ex-cartola e senador Zezé Perrella (PDT), ou supostamente ligadas a ele. A apuração surgiu após denúncia do empresário de Belo Horizonte, Antônio César Pires de Miranda Júnior, proprietário da rede de restaurantes Pizzaria Mangabeiras. Duas empresas ligadas a Zezé Perrella, a GN Alimentos e a Stillus conquistaram ao menos R$ 77,2 milhões em contratos com o setor público nos últimos quatro anos.

Em depoimento à Promotoria de Patrimônio Público, sobre a investigação acerca de irregularidades no certame para aluguel de espaço na Cidade Administrativa, Antônio Miranda Júnior acusou o senador Zezé Perrella (PDT) de combinar o resultado de licitações.

“O declarante entende que sua empresa (a Mangabeiras) apareceu, de surpresa no processo licitatório, e frustrou eventual ajuste entre as demais interessadas; que a empresa de alimentação Stillus, da família Perrella, venceu a licitação para fornecimento de alimentação para o sistema prisional, mas, no pregão 01A2009, não chegou a apresentar proposta… que tais situações levantam suspeitas de ajuste prévio e loteamento entre as empresas interessadas”, diz trecho do depoimento prestado no ano passado.

A partir da denúncia, o MPE de Minas começou a investigar a possibilidade de empresas ligadas a Perrella fraudarem certames. Já foram solicitados os contratos da Stillus, cujo dono é Alvimar de Oliveira Costa, irmão de Perrella e sócio em outros empreendimentos, com a administração estadual. O objetivo é averiguar quais foram as empresas que concorreram com ela nas licitações com o Estado, se são ligadas ao senador, o que caracterizaria formação de cartel. As mesmas providências serão tomadas em relação à GN Alimentos, de propriedade de Gilmar de Oliveira Costa, irmão mais velho de Zezé Perrella.

O Hoje em Dia analisou vários contratos dos quais a GN e a Stillus participaram, somando 27, além de contratos sociais de empresas que seriam ligadas ao senador. Na maior parte das licitações aparecem como concorrentes as empresas Unifrigo, Cristalfrigo, Frigorífico Del Rey (Fridel), Frigorífico Calafate, Fricon, Hipercarnes, Multicarnes e Perrella (hoje incorporado pelo Meirelles). Todos eles têm algum ponto em comum, seja a composição societária sejam os endereços.

hipercarnes perrellaA Hipercarnes faz parte do grupo de empresas que integrou o patrimônio do senador ou de algum membro da família Perrella (Foto: Lucas Prates/Arquivo)

A Cristalfrigo, por exemplo, já teve como dono Alvimar de Oliveira Costa. Ele entrou na composição societária em 2004. Em 2008, transferiu as cotas a Paulo César de Faria, amigo de Alvimar. Hoje, Paulo garante que rompeu com Zezé.

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s